Lahic – Roteiro de 2 dias – Viagem no Azerbaijão

A aldeia de Lahic tem a configuração e o ambiente de uma povoação de montanha, com um par de particularidades: a língua que ali se fala é um dialecto derivado do persa e é famosa pelos seus ferreiros que trabalham o metal segundo métodos tradicionais.

A melhor altura para visitar é durante a semana, quando a comunidade e o seu pulsar natural se tornam mais acessíveis ao visitante já que durante os fins-de-semana a aldeia tem um afluxo considerável de turistas locais.

Vídeo da Aldeia de Lahic com neve

Aldeia de Lahic com neve no Azerbaijão

Nos tempos em que a Rota da Seda era uma realidade, os produtos de Lahic eram bastante apreciados e terminavam com frequência num bazar de Bagdade ou de Damasco. A aldeia está rodeada de montanhas escarpadas, o terreno deixa escassas oportunidades para uma actividade agrícola e essas limitações desde sempre estimularam outras actividades. A tapeçaria desenvolveu-se e os trabalhos em cobre de Lahic ganharam uma fama que se estendeu até aos dias de hoje.

Lahic é uma excelente base para passar um par de dias, explorando as suas ruas e partindo para passeios pela natureza envolvente, que oferece uma série de possibilidades nesse sentido.

A viagem até Lahic

Existem autocarros directos de Baku para Lahic mas o viajante poderá ter dificuldades para obter um bilhete,  já que estes esgotam depressa e são reservados pelos locais.

Se encontrar este problema, deverá apanhar um autocarro para Ismaili e uma vez ali encontrar um táxi partilhado ou uma marshrutka para concluir a jornada. Desde Baku até Lahic conte com uma viagem de quatro horas, na melhor das hipóteses, mas provavelmente precisará de quatro ou cinco horas. Talvez mais, dependendo das opções de transporte que encontrar em Ismaili.

A viagem, especialmente o último troço, é bastante cénica, e leva o viajante para um Azerbaijão bem diferente do que deixou em Baku. Aqui a ruralidade reina, as florestas com cavalos selvagens que correm ao sentir o veículo sucedem-se.  Vêem-se pequenas quedas de água, montanhas distantes.

Para pernoitar, deverá encontrar (ou provavelmente ser encontrado) um dos diversos alojamentos locais existentes em Lahic. O preço oscilará entre os 10 e os 15 AZN, incluindo o pequeno-almoço.

O que ver e fazer em Lahic

LAHIC AZERBAIJÃO
LAHIC AZERBAIJÃO

Hüseynov küç

Trata-se da rua principal de Lahic e caminhar por ela equivale a viajar no tempo. O seu pavimento é irregular, imperfeito, sendo ladeada por casas tradicionais feitas de pedra e madeira, alguma delas com bonitas varandas também em madeira.

Apesar de muitos dos estabelecimentos tradicionais da Hüseynov küç terem sido substituídos por lojas mais modernas, existem ainda algumas relíquias à espera de serem encontradas, incluindo oficinas de ferreiros.

Museu de História Local

Este museu foi fundado em 1985 e é actualmente mantido por Aliyev Maarif Aghamehedi. A sua colecção é composta por cerca de mil peças, expostas numa única sala. Há muitas fotografias, ferramentas para trabalhar o cobre, imagens de gentes notáveis da aldeia.

O museu está alojado numa antiga mesquita construída em 1914, conhecida como “mesquita de Aghaoglu” que pode ser encontrada mesmo ao lado do posto de turismo local. A entrada é gratuita.

Ponte de Zərnava

Como muitas pontes suspensas, esta estrutura é bastante fotogénica e atravessá-la é sempre interessante, podendo-se observar as águas do ribeiro que correm, rápidas, lá em baixo, assim como as encostas montanhosas que o rodeiam. Localiza-se a cerca de 11 km a sul de Lahic, junto à estrada principal.

Vídeo da Ponte de Zernava

Ponte de Zərnava no Azerbaijão

Ismaili

Para muitos viajantes Ismaili é apenas um ponto de passagem em direcção a Lahic. Mas se tiver oportunidade explore um pouco desta cidade de cerca de 15 mil habitantes. Para além de se comer muito bem por lá, é uma localidade que representa o Azerbaijão soviético e nas suas imediações pode ser encontrado e visitado um kolkhoz. Trata-se de uma cooperativa agrícola popular, única nos dias de hoje, e usando um modelo que foi muito comum nos tempos da URSS. Pode também visitar o Museu de História Regional, na avenida H. Aliyev.