Sheki e Natureza – Roteiro de 2 dias – Descobrir o Azerbaijão

Sheki é considerada por muitos como o local a ir, para além de Baku, se não houver tempo para mais nada no Azerbaijão.

Trata-se de uma cidade de montanha com um passado riquíssimo. Foi um Estado albanês, fez parte da Rota da Seda, tendo sido sucessivamente ocupada por persas, romanos, partos, árabes e mongóis, oscilando sempre entre a soberania natural e a integração em unidades políticas mais poderosas. Após o colapso do império Safávida, no século XVIII, Sheki foi mais uma vez independente, sob a forma de um Khanato. Os edifícios mais antigos da cidade datam deste período, mas as sucessivas razias e invasões não permitiram que testemunhos mais antigos chegassem até aos dias de hoje.

No início do século XIX a Rússia anexou Sheki, que desde então e até à independência do Azerbaijão se manteve sob alçada eslava.

É uma cidade compacta, caminhando-se facilmente entre os principais pontos de interesse. De qualquer modo, se gosta de explorar a fundo um local, o serviço de táxi local é barato e existem múltiplas linhas de mini-autocarros que cruzam as ruas de Sheki.

A ver e fazer em Sheki

SHEKI NO AZERBAIJÃO
SHEKI NO AZERBAIJÃO

Caravansarai

Este é o testemunho mais evidente da época em que os comerciantes que percorriam a chamada Rota da Seda passavam por Sheki com as suas mercadorias. Para os albergar e incentivar a sua vinda, construiram os Khans em Sheki uma pousada. Nos séculos XVIII e XIX era um dos cinco pontos de pernoita no que é actualmente o Azerbaijão e o maior Caravansarai da região do Cáucaso.

Ainda hoje serve o seu propósito inicial. Já não se vêem por aqui as caravanas de mercadores, mas no seu espaço abrigam-se visitantes para a noite e são servidas refeições.

Mesquita Juma

Trata-se da principal mesquita de Sheki. Foi construída em meados do século XVIII, apresentando um minarete de 40 m de altura e, no edifício, uma bonita decoração com motivos geométricos. Pode ser visitada entre as 6:00 e as 21:00, esperando-se uma doação à saída.

Palácio Khansarai

Construído em 1762 por Khan Hussein para servir de centro de administração e governo ao Khan de Sheki, este palácio é de visita “obrigatória” para quem quer que se desloque à cidade.

Do seu pátio tem-se uma excelente vista de Sheki, podendo-se observar os detalhes da arquitectura do palácio.

O seu interior não é grande, mas está finamente decorado. A maioria dos trabalhos usa temas florais, mas no salão superior observa-se uma elaborada cena que representa a batalha de Haci Çələbi, contra os Persas, que teve lugar em 1743.

As visitas têm de ser acompanhadas por um guia, e duram cerca de quinze minutos. Note que não poderá fotografar o interior do palácio.

Vídeo do Palácio Khansarai

Vídeo do Palácio Khansarai no Azerbaijão

Palácio de Inverno

Trata-se do segundo palácio do Khan existente em Sheki, tendo sido recentemente renovado e aberto ao público. O seu interior poder ser algo decepcionante, com muitos quartos vazios, mas pelo menos num deles o visitante poderá observar pinturas murais representando poemas do consagrado Nizami, um autor do século XIII. Aqui podem-se recolher imagens do interior e mesmo ao lado vive um guia que fala inglês.

Memorial da Segunda Guerra Mundial

Se não visitou muitos memoriais soviéticos dedicados à Segunda Guerra Mundial, poderá gostar de vir até este local e apreciar o estilo grandioso, as linhas marcadamente socialistas, o testemunho de uma era que terminou com o colapso da União Soviética. Para além do interesse intrínseco do memorial, poderá aqui usufruir de grandes vistas sobre a cidade.

Yuxari Baş

Neste bairro de Sheki existe um ambiente rural e o visitante poderá pensar que está numa aldeia remota. Para além da atmosfera muito particular, atente na mesquita, datada de 1880 e dotada com um minarete octagonal.

Labirinto de Fazil

Trata-se de um lugar arqueológico onde foram descobertas sepulturas datas de um período de tempo que vai do século II ao século VII. Encontra-se sob a gestão imediata dos dois arqueólogos que dedicaram a sua vida de trabalho a este achado e para ver o local deverá agendar com eles, o que poderá ser feito através do posto de turismo de Sheki. Fica a uns 25 km a sudeste da cidade e se não tiver uma viatura própria, apresente o caso quando marcar a visita. Certamente que o seu problema será resolvido.

Vídeo do Labirinto de Fazil

Vídeo do Labirinto de Fazil no Azerbaijão

Para um dia fora da cidade:

Percursos para Caminhadas

Não é preciso ir longe para fazer uma boa caminhada. Pode-se partir, sem mais delongas, da área por detrás do do Palácio Khansarai. Existe uma rede de caminhos pela montanha acima, amplos e mantidos por madeireiros e pastores, que permitem chegar a topo, a 2.050 m de altitude.

Mas há outras opções. Vá até Bash Kyungyut (autocarros de Sheki às 9:00 e às 15:00, mas confirme o horário). Visite a igreja albanesa da aldeia e depois encontre uma viatura que o leve até Bideiz. Visite as duas ruínas albanesas que ali existem separadas por 5 km, É um passeio curto mais muito agradável, após o qual poderá regressar a Sheki.

Quando fizer estas caminhadas, leve o seu passaporte. É possível que as autoridades queiram verificar a sua identidade.

Uma tarde para visitar Sheki?

O primeiro destino a visitar em Sheki será o Palácio de Sheki Khan. O palácio foi construído em 1762 como residência de verão para o Khan (rei) de Sheki.

Durante a construção do edifício, não foram utilizados pregos ou qualquer tipo de cola. Lá dentro, todas as paredes do palácio estão cheias de pinturas, e cada quadro tem o seu próprio significado filosófico.

No jardim do lado de fora do palácio, descobrirá dois plátanos com 500 anos de idade. Também poderá visitar uma antiga prisão russa com mais de 200 anos, que é actualmente utilizada como atelier de vários artesãos de Sheki incluindo a oficina do único artesão do mundo a fazer janelas do estilo Shabaka.

Em seguida, prosseguirá para o antigo Caravansarai do século XVIII que é ainda hoje usado como hotel. Pode entrar e explorar o edíficio sem problema.

Devido à localização da cidade na principal estrada comercial do Leste para o Oeste – da Ásia para a Europa, os Caravansarais eram os principais locais de descanso de comerciantes que passavam pela região.

Depois de visitar o autêntico hotel Caravanserai, o seu último destino em Sheki será a a Igreja Albanesa de Sheki. Na Aldeia Kish não muito longe de Sheki, visitará uma igreja albanesa que data do século I dC. As pessoas da parte norte do Azerbaijão eram principalmente cristãs antes do Islão entrar na região.