Curiosidades do Azerbaijão

  • As panquecas recheadas chamadas de Kutabi são praticamente o prato nacional do Azerbaijão.
  • A primeira fogueira conhecida na história da humanidade, datada de 700.000 a 500.000 anos atrás, foi descoberta na caverna Azikh, a maior caverna do Azerbaijão.
  • A Yanar Dağ é uma encosta que nunca para de arder. Pode-se visitar o complexo e apreciar a encosta de fogo.
  • O Museu do Tapete do Azerbaijão foi inaugurado em 2014 em Baku. A arquitectura do edifício tem a forma de um tapete gigante enrolado.
  • O chá é a bebida mais popular no Azerbaijão.
  • No Azerbaijão falam azeri, mas o russo é o segundo idioma.
  • O Azerbaijão tem mais vulcões de lama do que qualquer outro país no mundo – mais de 400.
  • O dinheiro do Azerbaijão – conhecido como Manat – é muito parecido com as notas de Euro, com tamanhos, cores e estilo de letra similares.
  • A família Nobel da Noruega, que criou os muito elogiados prémios Nobel, adquiriu grande parte de sua fortuna a partir da indústria petrolífera do Azerbaijão no século XIX.
  • O cavalo karabakh – conhecido pela sua velocidade sem esforço, inteligência e resistência – é o animal nacional do Azerbaijão.
  • A montanha ardente é uma maravilha natural rara na Península de Absheron. Esta montanha queima durante todo o ano devido ao gás natural que sai do solo.
  • Garry Kasparov, ex-campeão mundial de xadrez, nasceu na capital do Azerbaijão, Baku.
  • Nas áreas mais baixas da caverna Azokh, a Oeste do Azerbaijão, os arqueólogos encontraram ferramentas e vestígios que datam de 1,5 milhão de anos atrás.

Vamos conhecer o Azerbaijão

Este país é um lugar bastante interessante, coberto de contrastes paisagísticos, onde tão depressa estamos perante um relevo árido, como de seguida, estamos a respirar o mais puro ar em florestas inacreditáveis. Desde a Antiguidade, muitos povos ficaram encantados com o Azerbaijão, e por esse motivo, encontrará aqui uma cultura bastante forte e encantadora, onde se perderá nas suas tradições e costumes e se deliciará, acima de tudo, com a sua exótica gastronomia.

A Natureza é generosa, com imponentes montanhas, lagos, praias, e uma grande riqueza no que toca à fauna.

No Azerbaijão as religiões convivem lado a lado em aparente harmonia. A maioria da população é muçulmana, mas não escasseiam igrejas cristãs de diversas épocas e tempos zoroastrianos.  Na realidade, o Azerbaijão é o mais antigo país muçulmano secular, um estatuto assumido em 1918.

O Azerbaijão foi anexado à União Soviética em 1920 e chamado de República Socialista Soviética do Azerbaijão. Antes da dissolução oficial da União Soviética, o Azerbaidjão proclamou sua independência em Outubro de 1991. A capital do Azerbaijão é a cidade de Baku.

Outras cidades dentro do Azerbaijão tais como Sumqayit, Ganja, Mingachevir, Lankaran, Shirvan, Nakhchivan, e Shamkir também merecem referencia.A nível de recursos naturais, o Azerbaijão tem enormes quantidades petróleo e gás natural.O Azerbaijão é uma república presidencial e o seu presidente é Ilham Aliyev.

O Azerbaijão faz fronteira como muitos países tais como o Rússia, Geórgia, Armênia, Irã e a Turquia. Geograficamente o lugar onde está situado o Azerbaijão chama-se Cáucaso, e como é um país transcontinental, está assim situado na Europa e Ásia ao mesmo tempo.

O Azerbaijão é um país o qual conta com uma população, na sua grande maioria, muçulmana-turca, mais propriamente xiita, a qual se libertou da colonização por parte dos russos no início do século XX, embora, depois tenha feito parte da União Soviética durante 70 anos.

O Azerbaijão localiza-se entre a Europa e a Ásia, ilustrando e criando a divisão entre estes dois continentes, pela cadeia montanhosa mais importante e imponente do Cáucaso. A geografia do país, sob a forma de uma encruzilhada, fez com que muitos povos e vários grupos étnicos por aqui passassem e ficassem imediatamente atraídos pela beleza da paisagem, tal como pelos imensos recursos naturais que a mesma oferece. Foram Árabes, Mongóis, Iranianos e Persas, que iam decidindo qual a doutrina que este povo seguiria, se o cristianismo ou o islamismo, ganhando o último, uma vez que o povo persa conseguiu estabelecer-se no Azerbaijão durante muitos séculos.

O Azerbaijão tem uma história conturbada de invasões e de guerras ao longo dos séculos, que se traduziram numa fusão cultural única no mundo, sendo a sua capital, Baku um lugar bastante interessante, muitas vezes comparada a uma Paris. Aqui viverá o verdadeiro sentido de hospitalidade, uma vez que o seu povo é bastante carinhoso para os seus visitantes. É um país repleto de reservas de petróleo pelo Mar Cáspio a fora, trazendo alguma riqueza para o país, apesar de o seu povo viver algumas dificuldades. Aqui, poderá deslumbrar-se com magníficos vulcões de lama, localizados ao Sul do Cáucaso, acompanhados de belos rios e glaciares (geleiras), aproveitando o facto de ser um país ainda meio desconhecido no mundo dos turistas, vivendo este paraíso (quase) só para si.

A língua oficial do Azerbaijão é o azeri, um idioma proveniente do Turcomano, da família das línguas altaicas, embora também se comunique em russo, especialmente nas cidades. O maior país do Cáucaso do Sul representa um povo que adora viver o mundo artístico, nomeadamente a música e a poesia, onde criam uma fusão entre as duas artes, o Mugam (acompanham e improvisam, com instrumentos tradicionais, poemas clássicos da cultura azerbaijana).

O chá é um elemento cultural bastante importante nesta sociedade, o qual é servido sempre (no mínimo), com um cubo de açúcar, acompanhado por amêndoas ou uvas-passas. Seja muito bem vindo à terra dos azeris, onde irá passar momentos inesquecíveis.