Ganja e Lago Goygol – Roteiro de 3 dias – Explorar o Azerbaijão

Localiza-se a 370 km a leste de Baku, mas não será necessário regressar à capital para visitar aquela que é a segunda maior cidade do Azerbaijão.

Existem carreiras de autocarros entre Sheki e Ganja. Será melhor verificar os horários quando estiver na cidade, mas se não existirem alterações, haverá partidas às 8:00, 8:30 e 13:30. Atenção que se a viatura encher partirá antes de tempo, pelo que convém chegar com alguma antecedência. O bilhete custa 4 AZN e o percurso demora cerca de duas horas e meia.

A ver e fazer em Ganja

Praça Heydar Aliyev

Esta central praça de Ganja é um exemplo perfeito de arquitectura socialista, com destaque para o edifício da Câmara Municipal. A sua fachada, com uma vasta arcada, é um bom exemplo do Classicismo Socialista, e se a maioria da simbologia comunista foi substituída por elementos mais azéris, com atenção o visitante poderá ainda encontrar algumas marcas da era soviética.

Durante os tempos da URSS existia aqui uma estátua de Lenine, substituída por uma escultura em bronze do mítico presidente Heydar Aliyev. É um ponto ideal para iniciar um passeio a pé pelos locais mais significativos da cidade.

Mesquita Shah Abbas

Esta é a mesquita mais importante da cidade, também conhecida como Mesquita de Sexta-Feira ou Mesquita Juma.

Foi construída inicialmente em 1606, tendo os minares sido adicionados em 1776. Em 1910 e 2008 sofreu obras de renovação e a mesquita que hoje ali podemos ver apresenta paredes de tijolo vermelho, muitos vitrais e uma ampla cúpula. Se possível visite o seu interior.

Banhos Chokak

Estes banhos turcos encontram-se junto à mesquita Shah Abbas, mas devido aos estragos sofridos no sistema de canalização durante a era soviética servem agora como loja de artesanato. O complexo tem uma arquitectura interessante que certamente proporcionará boas fotografias.

Mausoléu de Javad Khan

Aqui repousam os restos mortais de Javad Khan, um dos últimos monarcas do Khanato de Ganja, onde reinou entre 1786 e 1804. Tombou no campo de batalha, combatendo os russos, e é considerado um herói nacional.

A sua sepultura tinha sido perdida e foi reencontrada acidentalmente, quando se escavava para uma obra na era soviética. O actual mausoléu foi construído em 2005.

Filarmónica de Ganjas

O edifício da Orquesta Filarmónica é grandioso mas apesar de parecer centenário foi inaugurado em 2017 com a presença do Presidente da República. A sala de concertos tem capacidade para 1200 pessoas e existe um centro de conferências com 300 lugares. Na fachada principal, defronte da qual foram construídas duas forntes, encontram-se estátuas de cinco nomes grandes da cultura azéri: Uzeyir Hajibeyli, Fikrat Amirov, Gara Garayev, Niyazi e Arif Malikov.

Caravansarai Shah Abbas

Esta antiga pousada para mercadores é um dos edifícios mais antigos da cidade, tendo sido construído no século XVII, tendo sido recentemente renovado. A sua localização é bastante central, facilitando a visita.

Igreja Alexander Nevsky

Esta igreja é um testemunho dos anos de ocupação russa, tendo sido construída em 1887. Após a Revolução de 1917 a igreja foi encerrada enquanto templo, cumprindo uma série de funções mais seculares até ao final da Segunda Guerra Mundial. Em 1946 foi autorizado o seu uso enquanto igreja ortodoxa.

Casa Garrafa

Esta é uma casa muito particular. A sua fachada foi decorada com cerca de 50 mil garrafas pelo artista Ibrahim Jaffarov e é visível a fotografia do seu irmão Yusuf, que nunca voltou a casa após a Segunda Guerra Mundial. Contudo, o seu desaparecimento está envolto em mistério, pois para surpresa de todos, em 1957, ou seja, 12 anos após o fim do confeito, ele escreveu á família, mas desde então nunca mais ninguém recebeu notícias suas. Na casa pode-se ler Zhdem, qie significa, “esperamos por ti”.

Mausoléu de Nizami

Nizami Ganjavi é o maior poeta da história azéri e o seu mausoléu pode ser visitado em Ganja. Trata-se de uma estrutura moderna, de granito, ali colocada em 1991 em substituição de uma versão criada pelos Soviéticos em 1947. Na realidade desde o século XIV que o mausoléu de Nizami tem sido complementado, redesenhado, destruído e reconstruído.

O local é muito popular, o que é natural num país onde a poesia é levada muito a sério. O mausoléu está rodeado de agradáveis jardins e do outro lado da rua encontra-se o Museu de Nizami, inaugurado em 2014. O complexo encontra-se na periferia da cidade e será melhor apanhar um táxi para visitar.

Mausoléu de Imamzadeh

Este mausoléu tem um charme muito especial. A sua arquitectura é belíssima e é um local cuja visita é essencial. No seu complexo encontram-se diversas mesquitas, um cemitério e até um caravansarai.

O mausoléu original dataria do século VI, mas múltiplas reconstruções transformaram o local. A última intervenção ocorreu no século XIX e as estruturas tem um aspecto decadente que realça o seu charme.

Parque Heydar Aliyev

É o maior parque da região do Caúcaso. É de facto enorme, monumental, contando com uma réplica do Arco do Triunfo de Paris e dos arcos da antiga Roma. É o local ideal para observar as pessoas locais, especialmente aos fins-de-semana. Pode ser visitado à noite, quando os monumentos se iluminam e se tornam ainda mais espectaculares.

Para um dia fora da cidade: Lago Goygol

Lago Goygol Azerbaijao

O Lago Goygol é o mais famoso dos oito lagos de consideráveis dimensões que se encontram na região de Ganja e o seu nome significa literalmente “Lago Azul”.

Localiza-se no sopé do Monte Murovag e a sua beleza, rodeada pelo cenário das montanhas, é lendária. Foi formado devido a um sismo que ocorreu em 1139 e que bloqueou o curso natural do rio Kürəkçay.

Uma curiosidade: a povoação mais próxima do lago, Khanlar, nasceu Helenendorf, e foi fundada em 1819 por colonos alemães. Durante a Segunda Guerra Mundial a comunidade alemã ainda existente desapareceu.

A única forma prática de chegar ao lago é alugando um táxi. Espere pagar uns 20 Euros para uma visita ao lago, mas se tiver orçamento para tal, especialmente se viajar com mais pessoas, talvez seja mais proveitoso fretar o carro para o dia inteiro, por cerca de 80 AZN (41 Euros) .